A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta segunda-feira a detenção em Coimbra de dois estudantes universitários, com 21 e 27 anos, que cultivavam canábis num sótão arrendado naquela cidade, com recurso a equipamento próprio para a produção de estupefacientes.

«Arrendaram o sótão para o efeito e dedicavam-se à produção de canábis. E recebiam lá clientes e amigos», disse à agência Lusa fonte da Diretoria do Centro da PJ.

Aquando da detenção dos dois homens, naturais de Coimbra, foram apreendidas 140 doses de liamba (as folhas secas das plantas de canábis) e diverso equipamento para produção - lâmpadas com grande potência de aquecimento, disjuntores e fertilizantes -, moinhos, material de embalamento, balanças de precisão e 1.220 euros em dinheiro.

A detenção dos dois homens ocorreu na sequência de uma investigação iniciada pela PJ no início deste ano que, de acordo com a mesma fonte, abrange outras pessoas já referenciadas no processo.

Indiciados pelo crime de tráfico de droga, os dois detidos foram presentes a tribunal, tendo um ficado obrigado a apresentações diárias às autoridades e outro a apresentações duas vezes por semana.