O serviço de ortopedia de adultos do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) registou uma taxa de sucesso global de 67% em osteossarcomas e de 52% no sarcoma de Ewing.

«Os resultados do tratamento de osteossarcomas» apresentam uma «taxa de sobrevida global de 67%», 10 anos depois do tratamento, disse Fernando Fonseca, diretor do serviço de ortopedia de adultos do CHUC, realçando que, «nos casos que chegam mais cedo, há mais probabilidade de sucesso», registando-se uma taxa de sucesso de 78%.

No caso do sarcoma de Ewing, a taxa de sobrevida situa-se nos 52%, sendo os sarcomas ««tumores muito agressivos», salientou Fernando Fonseca, frisando que a taxa de sucesso «tem vindo a aumentar cada vez mais».

Segundo uma nota de imprensa do CHUC enviada à agência Lusa, foram tratados cerca de seis mil doentes na unidade de tumores osteoarticulares de adultos nos últimos 25 anos.

Ao todo, foram tratados «160 osteossarcomas de alto grau de malignidade, 20 de baixo grau de malignidade, 67 sarcomas de Ewing, 250 condrossarcomas, 432 sarcomas de tecidos moles [usando quimioterapia] e 139 sem recurso a quimioterapia», informou o centro hospitalar.

Nos sarcomas de tecidos moles estudados, a taxa de sobrevida aos 10 anos foi de 50%.

O número de cirurgias «aumentou dos 176 de 1997 para os 340 de 2009», tendo-se realizado entre 1997 e 2008 2.718 intervenções cirúrgicas na unidade, refere o centro hospitalar.

Segundo o CHUC, não há lista de espera «para cirurgia de lesões ósseas malignas, nem lista de espera para consultas», sendo recebidos doentes referenciados de «44 instituições hospitalares do país».

Em 25 anos, a unidade produziu «um livro, 28 artigos científicos e 270 comunicações ou posters, em congressos nacionais e internacionais».

De acordo com declarações de José Martins Nunes, presidente do conselho de administração do CHUC, na nota de imprensa, os dados divulgados em torno do tratamento de tumores ósseos em adultos «colocam o CHUC entre os melhores», estando previstos para 2015 novos investimentos «em requalificação de espaços».