Um grupo de seis arguidos, suspeito de introduzir em Portugal e na Europa cocaína proveniente do Brasil, foi acusado por tráfico de droga, associação criminosa e posse de arma proibida, divulgou hoje o Ministério Público.

Segundo a Procuradoria-geral distrital de Lisboa (PGDL), os arguidos estão indiciados de constituíram um grupo organizado com o único propósito de «introduzir em Portugal e na Europa, cocaína proveniente da América do Sul, designadamente do Brasil, transportada por via aérea com desembarque no aeroporto de Lisboa».

No aeroporto de Lisboa, o grupo dispunha de um elemento recrutado junto dos serviços de «handling» que se encarregava de desviar as malas contendo cocaína de forma a escaparem ao controlo normal e serem entregues no exterior do aeroporto a outros elementos do grupo.

Desta forma, conseguiram introduzir várias malas contendo cocaína. A 24 de junho de 2014, lograram passar duas malas contendo 5.268,364 gramas e 8.604,852 gramas de cocaína, respetivamente.

A 20 de julho de 2014 mais duas malas, com idêntico conteúdo, e no dia 26 novembro do mesmo ano uma mala contendo 16.783,646 gramas de cocaína e que veio a ser apreendida pela Polícia Judiciária.

Cinco dos arguidos estão em prisão preventiva e de acordo com acusação auferiam «avultadíssimos proventos com esta atividade criminosa» que só terminou com a intervenção da PJ.

A investigação foi dirigida pela 1/a seção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa sede e executada pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ.