No final do jogo entre Benfica e FC Porto, que os dragões venceram com um golo aos 90 minutos, alguns adeptos do Benfica atiraram objectos conta a Polícia que acabou por intervir com bastonadas contra alguns adeptos e tiros de balas de borracha para o ar. 

Em declarações à TVI, o comissário Sérgio Soares, adiantou o balanço final da operação de segurança da PSP que contou com sete detidos e seis polícias feridos, assim como alguns adeptos do Benfica e do FC Porto.

De acordo com a mesma fonte, “seis polícias foram feridos pelo arremesso de garrafas e pedras por parte dos adeptos do Sport Lisboa e Benfica”, obrigado as autoridades a usarem “a força de uma forma mais elevada”.

Foram usados “vários meios coercivos” pela polícia para obrigar os adeptos benfiquistas a saírem do complexo desportivo, nomeadamente “arma de fogo com bagos de borracha”, tendo sido disparados tiros para o ar, mas também para “zonas menos letais, de forma a que os adeptos abandonassem o local”, explicou o comissário.

Segundo o agente da autoridade, os distúrbios começaram “no topo sul do Estádio do Benfica” entre os adeptos do clube e, após a intervenção policial, “a agressividade dos adeptos do Benfica virou-se para a PSP”.

Até ao apito inicial, a operação da Polícia de Segurança Pública (PSP) para o jogo entre Benfica e FC Porto, da 30.ª jornada da I Liga de futebol, registou  três detidos por posse e deflagração de artefactos pirotécnicos.

Segundo este responsável, o dispositivo de segurança de acompanhamento e entrada dos adeptos do FC Porto no Estádio da Luz foi "um sucesso", tendo decorrido "sem quaisquer incidentes". O último grupo dos cerca de 3.400 adeptos dos ‘dragões’ entrou para o interior do recinto pelas 17:53, ou seja, sete minutos antes do pontapé de saída.

 

"Acompanhámos 26 autocarros desde a cidade do Porto com polícias do Comando Metropolitano da PSP do Porto. Depois, a partir das portagens de Alverca estava já o dispositivo da PSP de Lisboa para acompanhar esses autocarros até à avenida Condes de Carnide, o local de parqueamento", explicou.