É extensa a lista onde o fumo vai passar a ser proibido. O Parlamento discute esta quarta-feira a proposta de lei do Governo para aumentar as restrições aos fumadores, mas sabe-se já os locais onde o Executivo quer interditar o fumo do tabaco a cinco metros das suas portas ou janelas.

Locais onde passa a ser proibido fumar a cinco metros de:
  • Hospitais
  • Postos de socorro
  • Centros de Saúde
  • Consultórios
  • Farmácias
  • Estabelecimentos de ensino
  • Creches
  • Lares de infância e juventude
  • ATL's
  • Parques infantis
  • Colónias de férias
  • Bibliotecas
  • Salas de estudo
  • Cantinas escolares

A lista é extensa mas, segundo o jornal I, os socialistas admitem que esta proposta poderá ainda ser alterada e aperfeiçoada na especialidade, uma vez que a fiscalização destas normas levanta algumas dúvidas.

Por sua vez, o PSD admitiu que vai pedir explicações ao ministro da Saúde sobre a distância definida pelo Governo uma vez que afirma não haver "nenhuma base científica" de que os cinco metros serão os adequados. Os sociais-democratas querem ainda saber por que razão lares de terceira idade e locais de apoio a deficientes foram deixados de fora da lista do Executivo.

Já o PCP considera que a proposta é positiva, mas defendem que é necessário "aumentar os estímulos para quem quer deixar de fumar".

A gerar polémica está a intenção do Executivo de equiparar os cigarros eletrónicos aos tradicionais, proibindo o seu consumo nos mesmos locais onde já é interdito fumar.

A proposta foi já contestada pela deputada do PS, Isabel Moreira, que considera que "equiparar um cigarro eletrónico a um cigarro é o mesmo que equiparar um cigarro a leite", uma vez que os cigarros eletrónicos "não têm fumo" e "não provocam danos a terceiros".