O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu hoje um novo aviso para o mau tempo até domingo em Portugal continental, prevendo forte agitação marítima, vento, chuva e queda de neve nas regiões centro e norte.

Segundo um comunicado hoje divulgado pelo IPMA, estas condições meteorológicas decorrem de uma forte corrente de oeste no Atlântico norte e da passagem frequente de ondulações frontais de forte atividade pelo território do continente.

As previsões apontam para «precipitação generalizada a todo o território do continente, persistente, com períodos de maior intensidade e com queda de neve nas regiões do norte e centro, e que, na quinta-feira, chegará a cotas de 600 a 800 metros».

O vento predominará de sudoeste ou oeste moderado ou forte, com rajadas que, nos períodos de maior intensidade, até 95 quilómetros por hora (km/h) no litoral e até 120 km/h nas terras altas.

A altura significativa das ondas na costa ocidental irá variar entre cinco e sete metros podendo atingir alturas máximas entre oito e dez metros.

«O IPMA irá manter a vigilância meteorológica, atualizando as previsões sempre que se justifique, recomendando que se dê a devida atenção aos avisos meteorológicos e que se sigam as orientações dos serviços de Proteção Civil», informa o comunicado

Para hoje, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou para o risco de cheias nas bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo.

De acordo com um comunicado hoje divulgado pela ANPC, as bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo estão «suscetíveis à ocorrência de cheias, nas zonas historicamente vulneráveis».

Tendo em conta as previsões meteorológicas, a ANPC alerta, entre outras situações, para a «possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem», para «possíveis acidentes na orla costeira», «intoxicações por inalação de gases, por inadequada ventilação em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras».

A ANPC recomenda «a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas», que os automobilistas pratiquem uma «condução defensiva» e que se evite «atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas».

Todos os distritos do continente estão sob aviso laranja do IPMA, o segundo mais grave de uma escala de quatro, devido à agitação marítima até às 06:00 de sexta-feira.

O aviso laranja, que representa uma situação meteorológica de risco moderado a elevado, está também em vigor nas ilhas do grupo oriental por causa do vento até às 06:00 de quinta-feira.

Todo o resto do território continental e ilhas encontram-se hoje sob aviso amarelo, o terceiro mais grave da escala, devido à agitação marítima, vento, chuva ou queda de neve.

O aviso amarelo implica uma situação de risco para certas atividades dependentes da atividade meteorológica.