A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou hoje 191 ocorrências relacionadas com o mau tempo, entre as 15:00 e as 22:00, maioritariamente nos distritos de Lisboa e Setúbal, disse à agência Lusa fonte do comando.

No distrito de Lisboa verificaram-se 148 situações relacionadas com inundações, entupimento de esgotos e algumas quedas de árvores e cortes de estradas, enquanto Setúbal apresentou 18 ocorrências.

De acordo com a mesma fonte, houve «algumas inundações rápidas», incluindo inundações urbanas, mas «tratando-se de aguaceiros» tem sido possível repor a normalidade com alguma agilidade.

«Nada que ponha em risco a segurança das pessoas», afirmou o comandante de serviço.

Mais de cem bombeiros, com 25 a 30 viaturas, encontravam-se hoje à noite nas ruas de Lisboa a tentar minimizar os efeitos de «pequenas inundações» provocadas pela chuva, disse à agência Lusa fonte dos Sapadores da cidade.

«Há pequenas inundações um pouco por toda a cidade», afirmou a fonte, acrescentando que entre as 20:00 e as 22:30, o Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa recebeu cerca de 90 pedidos de intervenção. A maior inundação terá sido ao início da Rua Vieira da Silva, em Alcântara, uma zona ribeirinha habitualmente fustigada, especialmente quando a chuva forte coincide com a maré cheia. De acordo com a fonte, a rua já foi desobstruída.

Dezenas de casas e estabelecimentos comerciais inundados e algumas viaturas imobilizadas em vias urbanas repletas de água é o balanço provisório da chuva intensa que se abateu hoje à noite sobre a Península de Setúbal, informaram os bombeiros.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, os concelhos de Almada e de Setúbal pareciam ser os mais afetados até às 23:00, mas também houve registo de diversas ocorrências nos concelhos do Barreiro, Palmela, Moita, Montijo, Seixal e Setúbal.

No concelho de Almada, os bombeiros tiveram de acorrer a diversas inundações em habitações e estabelecimentos comerciais, bem como para a retirada de algumas viaturas parcialmente submersas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil emitiu hoje um alerta amarelo para todo o continente devido ao mau tempo e que vigorará até às 20:00 de quinta-feira.

Segundo a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), é esperado mau tempo na quinta-feira, em particular chuva, por vezes intensa, sobretudo nas regiões norte e centro, vento moderado a forte no litoral a norte do cabo de Sines, com rajadas que podem atingir 70 km/h, e «fenómenos convectivos mais intensos, dando origem a trovoadas e fenómenos extremos de vento localizados».

Onze distritos estão sob aviso laranja do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) até às 18:00 de quinta-feira, devido à chuva e ao vento, estando também prevista a ocorrência de trovoadas.

O segundo aviso mais grave numa escala de quatro vigora assim nos distritos de Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Santarém, Portalegre, Lisboa, Setúbal e Évora.

O aviso laranja, que já tinha sido emitido à tarde para seis distritos, é acionado devido à chuva e ao vento, prevendo-se a continuação de precipitação, por vezes forte, acompanhada de trovoada, de acordo com a informação disponível na página de Internet do instituto. O restante território de Portugal continental está sob aviso amarelo, menos grave, que representa situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Notícia atualizada