Notícia atualizada às 16:27

As
más condições atmosféricas condicionaram, esta segunda-feira, o movimento no Aeroporto da Madeira, tendo afetado 22 voos. 

A melhoria das condições atmosféricas na zona de Santa Cruz permitiu esta tarde a aterragem de dois dos 22 aviões que não haviam conseguido antes aterrar no Aeroporto da Madeira, disse fonte daquela infraestrutura aeroportuária.

Segundo a mesma fonte, «devido a uma aberta», aterrou o voo da Finnair que esta manhã divergiu para o Porto Santo, proveniente de Helsínquia, depois de duas tentativas de aterragem falhadas, e um da Easyjet oriundo de Lisboa.

Os fortes ventos que se fazem sentir naquela zona da ilha da Madeira afetaram hoje 22 ligações de várias companhias aéreas, com origem em diferentes aeroportos, nomeadamente do Reino Unido, de França, do continente português e de países escandinavos.

«Para o Porto Santo divergiram sete aviões, seis dos quais ainda estão ali estacionados, para Lisboa foram três, outros dois para Faro, além de dois para o aeroporto de Gran Canária, seis para Tenerife e um para Lanzarote», disse a mesma fonte.

Devido a esta situação, foram cancelados três voos, dois da TAP e um charter, que «foram reprogramados para terça-feira e os passageiros já foram reencaminhados para os hotéis», adiantou.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Madeira está sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros ou períodos de chuva por vezes forte, acompanhados de trovoada e vento forte com rajadas que podem atingir os 110 quilómetros/hora.