As descargas nas barragens portuguesas e espanholas vão aumentar de intensidade e a consequência será a subida das águas do rio Tejo, com efeitos que se deverão fazer sentir nas zonas ribeirinhas durante a madrugada, disse fonte da proteção civil.

Segundo a mesma fonte, o maior caudal lançado pelo conjunto das barragens com influência no rio Tejo foi de 3452m3/s, às 17:00 desta segunda-feira, sendo expectável que o mesmo chegue aos 3500m3/s durante as próximas horas, nível considerado como «a barreira» para a ativação do alerta Laranja.

«Com base na Informação disponibilizada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e pela EDP produção, existe uma forte probabilidade de um aumento significativo nas descargas das barragens do Fratel, Pracana e Castelo de Bode, quer pela influência direta das descargas das barragens de Espanha, quer pela influência da forte precipitação que se tem feito sentir na bacia do rio Zêzere e do rio Tejo», referiu a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

«A conjugação das descargas portuguesas e espanholas deve fazer-se sentir a meio da madrugada, cerca das 04:00, e o nível das águas deve subir mais um metro do que está atualmente», referiu, tendo feito notar que as populações e os serviços de proteção civil «estão tranquilos e preparados» para os efeitos desta subida.

As previsões meteorológicas apontam novamente para a ocorrência de precipitação no distrito de Santarém e, tendo em conta a pluviosidade que se faz sentir em Espanha, para as próximas 24 horas «é expectável um agravamento dos caudais dos afluentes».

Segundo acrescentou o operacional do CDOS, prevê-se ainda que as descargas das barragens do Fratel e da Pracana possam atingir o somatório de 2.500 m3/s, durante as próximas horas.

O Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo está desde a manhã desta segunda-feira em alerta Amarelo.