Esta é daquelas noites de verão, apesar de estarmos em pleno outono, em que apetece mesmo estar na rua. E há um motivo extra, para além do calor: olhe bem para o céu, hoje há chuva de estrelas a animar o serão.

A «culpa» é do Cometa Halley, que já não é visto há 28 anos, mas deixou o seu rasto. Há uma chuva de meteoros que atravessa a terra todos os anos. E esta noite de 21 para 22 de outubro é, por isso, especial. E continua, durante a noite de amanhã.

Vamos aos termos técnicos, para os entendidos. O que se passa esta noite é uma chuva de meteoros das Dracónidas e das Oriónidas. 

O Observatório Astronómico de Lisboa explica tudo: «Nesta altura do ano, o céu encontra-se habitualmente muito nublado dificultando a observação de chuvas de meteoros como as Dracónidas e as Oriónidas. No caso das Dracónidas, associadas ao cometa Giacobini-Zinner, ainda será mais difícil porque o dia da atividade máxima coincide com a Lua cheia, logo um céu demasiado iluminado para se conseguir ver a chuva de meteoros. Já as Oriónidas terão a data de atividade máxima perto da Lua nova (a 23 de outubro) e um período de atividade mais alargado».

Estrelas cadentes dão em pedido de desejos. Por isso, já sabe, aproveite.