O plano de recuperação urbanístico e arquitetónico do Chiado (Lisboa), depois do incêndio de 1988, assinado pelo arquiteto Álvaro Siza, foi publicado em livro, com o título «Chiado em Detalhe», foi hoje anunciado.

O livro, editado pela Babel, apresenta uma entrevista com Álvaro Siza Vieira e toda a documentação técnica, alguma dela inédita, sobre o plano de recuperação da zona do Chiado, que ardeu a 25 de agosto de 1988, há quase 25 anos.

A obra, pensada para ser também uma ferramenta de trabalho na área da arquitetura, inclui pormenores sobre os exteriores de vários edifícios, incluindo os emblemáticos Armazéns do Chiado e o Edifício Grandella, pátios e terraços.

«Chiado em Detalhe» inclui ainda testemunhos do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, e do arquiteto Gonçalo Byrne, e será apresentado no dia 25, na Galeria Chiado 8, no largo do Chiado, onde será inaugurada uma exposição relativa ao livro.

A sessão contará com António Costa, Álvaro Siza, Manuel Salgado, arquiteto e vice-presidente da autarquia, e Paulo Teixeira Pinto, administrador da Babel.

O incêndio do Chiado aconteceu a 25 de agosto de 1988, destruindo edifícios comerciais históricos como os Armazéns Grandella, os Grandes Armazéns do Chiado, a Pastelaria Ferrari e a Editora Valentim de Carvalho, os armazéns Eduardo Martins e lojas como o Novo Figurino ou a Antiga Casa José Alexandre.

Álvaro Siza Vieira, 80 anos, natural de Matosinhos, estudou Arquitectura na Escola Superior de Belas Artes do Porto.

A par da atividade letiva, assinou edifícios como o Pavilhão de Portugal (Lisboa), o Bairro da Bouça (Porto), a Igreja de Santa Maria (Marco de Canaveses), a Piscina das Marés (Leça da Palmeira), a Biblioteca da Universidade de Aveiro e a Fundação Iberê Camargo (Brasil).

Em 1992, venceu o prémio Pritzker, considerado o mais importante galardão na área da arquitetura, juntando-se a outras distinções como o Prémio Mies van der Rohe da União Europeia (1988) e o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2012).

Em abril, a editora alemã Taschen reuniu toda a obra de Álvaro Siza num livro de 500 páginas.