A escola secundária Afonso Domingues, em Chelas, fechou há cinco anos e desde então está entregue ao abandono. Foi alvo de assaltos e vandalismo e não se sabe o que vai ser feito ao imóvel. Tudo porque ali iria passar o TGV, que nunca chegou a sair do papel. O comboio de alta velocidade que nunca chegou a ter carris para andar e deixou ao abandono 125 anos de história.
 
Chegou a ser uma escola industrial e foi aqui que o prémio nobel da literatura, José Saramago, tirou o curso de serralheiro mecânico. Nos últimos tempos funcionava como escola secundária com cursos profissionais.
 

“Está completamente ao abandono. Já não tem nada de nada lá dentro”, resume Belarmino Silva, presidente da Junta de Freguesia de Marvila.

 
Três anos antes do encerramento, tinham sido feitos investimentos em quadros interativos, computadores e rede de internet sem fios. Fechou com tudo lá dentro e, entretanto, tudo desapareceu. 
                                     
Os Bombeiros do Beato estavam interessados no espaço. Fizeram vários contactos com os ministérios que tutelam o imóvel.
 

“Nunca conseguimos ter uma resposta positiva e, no final de tudo, a última resposta que tivemos foi que a Direção-Geral de Tesouro e Finanças nos disse que havia uma entidade do Ministério da Administração Interna, o SEF, tinha interesse em ficar com o espaço”, explica à TVI Hugo Xambre, presidente da Junta de Freguesia do Beato.

 
Dois anos depois a escola continua desocupada e nada é dito sobre o futuro. O Ministério da Educação e Ciência não tem resposta. Contactados pela TVI, os serviços ministeriais recusaram comentar o assunto, alegando que nada tem a acrescentar.