O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, defendeu este sábado que a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014 não pode ser aprovada porque agravaria os problemas sociais e contém inconstitucionalidades.

«Do ponto de vista económico e social este Orçamento do Estado não pode passar, está ferido de inconstitucionalidades. É ilegal», disse Arménio Carlos aos jornalistas em Alcântara, no meio da concentração de protesto.

Arménio Carlos salientou o «ambiente de confiança e tranquilidade» presente no recinto da manifestação, onde já estão concentradas milhares de pessoas.

«O povo não quer este orçamento», sublinhou.

Tendo como cenário de fundo o palco onde irá discursar pelas 16:00 e a ponte 25 de abril, onde continuam a circular os autocarros que transportam os manifestantes, Arménio Carlos reafirmou que a decisão do governo de proibir a travessia pedestre da ponte foi «ilegítima», «antidemocrática» e «demonstra medo».

«Não estamos aqui para arranjar problemas mas sim para resolver problemas, mas enfrentaremos o Governo se ele persistir na atual politica», disse.