“Sei qual é a razão que motiva a meter estes processos, já não é novo. É uma tentativa de amordaçar o associativismo na GNR, qualquer declaração que faça como presidente da maior associação metem-me um processo cada vez que falo, já tive muitos”, disse à Lusa César Nogueira.


“Tem a ver com as últimas declarações sobre a questão da aprovação do estatuto ou melhor não aprovação do estatuto, que teve pressões de oficiais generais das Forças Armadas, neste caso do Exército, para que o estatuto não fosse aprovado, foi dentro dessas declarações que fiz que tive mais um processo, coisa que já não esteja habituado”, sublinhou.