Três dos feridos do acidente que na madrugada de sábado matou cinco peregrinos no IC2, em Cernache, mantêm-se internados nos Hospitais da Universidade de Coimbra, dois dos quais com prognóstico reservado, informou hoje fonte do centro hospitalar.

Segundo o gabinete de comunicação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), “a doente que se encontrava internada na unidade de cuidados cirúrgicos intermédios foi transferida para o serviço de medicina intensiva” e “tem prognóstico reservado”.

A mulher, de 23 anos, foi no sábado operada às pernas e a um braço.

Também “o doente que estava no serviço de medicina intensiva mantém o prognóstico reservado”, informa o CHUC, referindo-se a um homem de 64 anos, politraumatizado grave.

O terceiro ferido, um homem de 71 anos que se encontra internado no serviço de cirurgia B, “mantém-se clinicamente estável”, acrescenta.

Deram entrada no hospital seis feridos, um dos quais - um jovem de 17 anos - acabou por morrer, elevando para cinco o número de mortos entre o grupo de cerca de 80 peregrinos de Mortágua.

O grupo dirigia-se para Fátima pelo IC2 e foi vítima de atropelamento em Cernache, Coimbra, cerca das 04:00, após o despiste de um automóvel que seguia no sentido Coimbra/Condeixa.

As cinco vítimas mortais do grupo de peregrinos - que seguia a pé no mesmo sentido do automóvel, mas na faixa contrária - têm entre os 17 e os 69 anos.

No sábado, teve alta hospitalar um homem de 24 anos, condutor do automóvel envolvido no despiste, que apresentava ferimentos ligeiros.

No domingo, teve alta do Hospital Pediátrico de Coimbra um jovem de 16 anos.

O condutor foi, entretanto, constituído arguido e notificado para comparecer hoje em tribunal, onde já se encontra, para ser ouvido por um juiz e serem-lhe determinadas eventuais medidas de coação.