O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse esta terça-feira que uma eventual antecipação da reposição de feriados terá de ser feita de forma equitativa entre civis e religiosos.

Em declarações aos jornalistas, em Fátima, no final da reunião do conselho permanente da CEP, o padre Manuel Barbosa lembrou que a suspensão por cinco anos de dois feriados civis e dois religiosos termina em 2017 e que a questão, «no momento, não está em cima da mesa, embora haja algumas iniciativas políticas» nesse sentido.

«O princípio que norteou [a suspensão] foram dois [feriados] religiosos e dois civis. Deve continuar esse sistema de paridade, a serem repostos naturalmente será sempre de uma maneira equitativa (..) Se forem dois feriados civis, serão dois feriados religiosos», frisou Manuel Barbosa.

Adiantou que caso a reposição dos feriados seja antecipada, o principio a seguir será o mesmo que, aquando da suspensão, foi alvo de parecer da Conferência Episcopal Portuguesa à comissão paritária que regula as relações entre a Santa Sé e o Estado português.

No âmbito próprio, «esse diálogo será feito e a comissão paritária naturalmente terá isso em consideração», afirmou o secretário da CEP.