Um pouco por todo o país, os centros de saúde vão estar abertos em horário alargado, e também ao fim de semana, por causa da gripe e do frio que vai agravar-se nos próximos dias.

A Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo anunciou o alargamento de horário durante a semana e ao fim de semana pelo menos até dia 28 de janeiro. Durante a semana vão funcionar 35 centros de sáude, ao sábado 47 e ao domingo 37. Um reforço decretado tendo em conta o período de inverno e o esperado pico da gripe. Veja aqui a lista

Também a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) anunciou horário alargado em 44 centros de saúde para adequar os serviços “às temperaturas adversas dos próximos dias”. Prevê-se, ainda, a abertura de 364 camas nos hospitais. Veja aqui a lista.

Em Coimbra, os centro de saúde aos fins de semana até ao fim do mês de janeiro, entre as 10:00 e as 18:00, pelos mesmos motivos.

Veja também:

A partir de sábado, vão estar abertas as unidades de Celas, Eiras, Fernão Magalhães, Norton de Matos e São Martinho, com uma equipa para atendimento de situações de doença aguda.

A abertura dos centros de saúde nos períodos anunciados insere-se nas medidas preconizadas no Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas - Módulo Inverno 2017/2018, que, na região Centro, é coordenado pelo Departamento de Saúde Pública da ARSC.

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) anunciou, entretanto, que ativou o plano de contingência, com o alargamento de médicos na observação e a abertura de mais 40 camas.

A administração refere, em comunicado, que o plano de contingência se encontra ativo desde o final de dezembro para “salvaguardar, eficaz e atempadamente, a resposta aos cuidados de saúde prestados à população”.

Após a ativação deste plano, foram acionadas algumas medidas a nível do alargamento de profissionais médicos na observação médica e na maior capacidade de internamento suplementar, com a abertura de mais camas: 20 em Vila Real, 6 em Lamego e 14 em Chaves.

Até ao momento, o plano de contingência “está a revelar-se suficiente, quer para o aumento dos acessos, quer para o aumento dos internamentos”. No entanto, o conselho de administração ressalvou que “continua atento às necessidades da população” e fará reajustamentos “sempre que necessário”.

Já o Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA) abriu 23 camas suplementares e reforçou as equipas de profissionais para "dar resposta" ao aumento da afluência nos Serviços de Urgência.

Na última semana, os atendimentos no Serviço de Urgência Básica (Unidade de Santo Tirso) aumentaram cerca de 30% face à média anual e no Serviço de Urgência Médico-cirúrgica e no Serviço de Urgência Pediátrica (Unidade de Vila Nova de Famalicão) aumentaram cerca de 15%. Os tempos máximos de resposta "só pontualmente têm sido ultrapassados", pedindo a "melhor compreensão dos utentes".

É recomendado à população que, em caso de necessidade, aceda à linha Saúde 24, através do número 808242424, que faz a triagem, aconselhamento e encaminhamento para o serviço de saúde mais adequado às necessidades de cada situação.

Veja também as recomendações da Proteção Civil por causa do mau tempo