O presidente da Câmara de Sintra disse esta terça-feira à agência Lusa ter chegado a um acordo com o Ministério da Saúde que viabiliza a reabertura das unidades de Dona Maria, Sabugo e Almargem do Bispo, encerradas há oito dias.

«Ficou acordado reabrir esses centros de saúde, fechados desde o dia 09 de junho, com médicos contratados pela câmara e também pessoal administrativo», afirmou Basílio Horta (PS).

O autarca esclareceu que serão disponibilizados dois médicos pela autarquia, para atender os cerca de 6 mil utentes daqueles locais.

«Foi uma decisão muito importante para o concelho. Foi uma longa marcha e estamos todos de parabéns», acrescentou.

Além disso, acrescentou Basílio Horta, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo acordou também com a autarquia construir quatro novas unidades de saúde.

Queluz e Belas, Almargem do Bispo, Algueirão-Mem Martins e Agualva e Mira Sintra serão as zonas beneficiadas, num total de 400 mil utentes a serem beneficiados.

«A Câmara de Sintra comprometeu-se a dar as instalações e a financiar em 30 por cento o custo total do investimento, num total de cerca de 2,5 milhões de euros e a câmara tem já esse dinheiro disponível», referiu Basílio Horta.

A população de Dona Maria, Sabugo e Almargem do Bispo agendaram para quarta-feira uma manifestação junto ao Ministério da Saúde, em Lisboa, para reclamar a reabertura de extensões de saúde na antiga freguesia de Almargem do Bispo.

Desde 09 de junho que as unidades estavam encerradas, por decisão do Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra (ACES), e as consultas concentradas em Negrais.