O Tribunal Judicial de Braga condenou a nove anos e meio de prisão um homem que em junho de 2013 regou a ex-namorada com gasolina e lhe pegou fogo, em Celeirós, naquele concelho.

O coletivo de juízes deu como provado que o arguido, de 35 anos, agiu movido por ciúmes e teve intenção de matar, o que só não aconteceu por razões alheias à sua vontade.

Por isso, condenou-o por homicídio qualificado, na forma tentada.

O tribunal sublinhou a «frieza de ânimo» do arguido e o «meio insidioso» que utilizou para atacar a ex-namorada, que sofreu queimaduras de terceiro grau em várias partes do corpo, nomeadamente cara, cabeça e pescoço.

Esteve internada durante mais de um mês em estado de coma e já teve necessidade de ser submetida a três cirurgias plásticas, continuando em tratamento.

Os factos remontam à noite de 15 de junho, no parque de estacionamento de um supermercado de Celeirós, em Braga, onde a vítima, de 28 anos, trabalhava.

O arguido foi esperá-la, cerca das 22:00, e quando ela saiu pegou numa garrafa com gasolina que tinha no bolso, despejou-a em cima dela e depois ateou-lhe fogo, com um isqueiro.

O crime ficou registado nas câmaras de videovigilância da superfície comercial.

Segundo o tribunal, o arguido e a vítima namoravam desde abril de 2013, mas dias antes do crime ela acabou com o relacionamento, devido aos «comportamentos agressivos e dominadores» do namorado.

Ele terá descoberto que a vítima tinha um relacionamento com outro homem, de quem, inclusive, estaria noiva.

O arguido já tem vários antecedentes criminais, incluindo uma condenação em França por violência sobre cônjuge.

O tribunal considera que o arguido apresenta «patologias graves nos relacionamentos amorosos».

A defesa do arguido vai recorrer.