Um recluso do Estabelecimento Prisional de Leiria incendiou a cela e agrediu dois guardas prisionais, que foram transportados para o Hospital de Santo André, Leiria, disse à agência Lusa a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

De acordo com fonte da DGRSP, cerca das 08:50, "um recluso afeto ao Estabelecimento Prisional de Leiria (jovens), na sequência de ter incendiado alguns pertences seus dentro da cela (situação rapidamente sanada), agrediu dois chefes da guarda prisional, tendo sido requerida a assistência do INEM para os guardas agredidos".

As vítimas foram conduzidas ao Centro Hospitalar de Leiria, "tendo um deles regressado ao Estabelecimento Prisional após tratamento e o outro sido encaminhado para o Hospital da Universidade de Coimbra para consulta de oftalmologia".

A DGRSP revela ainda que o agressor, com 23 anos, foi condenado a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de roubo, furto, ofensas à integridade física, abuso de confiança e dano qualificado, e está a ser "acompanhado em consultas de psiquiatria, em consequência de comportamentos desajustados".

Mais se informa que o recluso sofreu pequenas lesões que foram assistidas nos serviços clínicos do estabelecimento prisional".

A DGRSP referiu ainda que deu cumprimento à lei em vigor, pelo que o "recluso agressor foi imediatamente separado da restante população prisional, será objeto de competente processo disciplinar e de participação dos factos ao Ministério Público, para além de vir a ser colocado em regime de segurança".

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria acrescentou que o alerta foi dado pelas 09:32, tendo estado no local duas viaturas com cinco operacionais.