A CDU exigiu hoje que a Câmara do Porto encontre uma solução para construir um «arruamento de cem metros» que está impedir a abertura do Centro Social de Aldoar, com capacidade para mais de 100 idosos.

Numa visita ao equipamento que vai criar «20 postos de trabalho», Pedro Carvalho, vereador da CDU na autarquia, exigiu que o município «encontre uma solução» para, em novembro, o centro social estar «a funcionar».

«Ao que parece, houve um erro de projeto. A Câmara está a fazer novos concursos, a vereadora mobilidade já terá dito que a obra fica pronta em abril mas isso não é aceitável. Até novembro tem de ser encontrada uma solução, até porque é uma data simbólica para Aldoar pela questão do São Martinho», afirmou.

Com capacidade para acolher 50 idosos acamados e 60 no centro de dia, o «equipamento essencial» cujas obras ficaram concluídas «em dezembro» não está a funcionar por causa de «um arruamento», lamenta o vereador.

«Dizem que há problemas de cotas, que há revisões que tem de ser feitas. Se não consegue conseguir construir o arruamento porque houve deficiência no projeto inicial, vai ter de encontrar uma solução», acrescentou.

Alertando para a «carência que a cidade tem deste tipo de equipamentos», Pedro Carvalho indicou que o centro social foi construído com fundos comunitários e 1,5 milhões de euros de «um grande contributo da comunidade».

O comunista sustenta ainda que o impasse está a colocar em causa «acordos com a segurança social».

Pedro Carvalho não quis detalhar quais as soluções que a autarquia podia encontrar, mas lembrou que, quando o centro de saúde de Aldoar ficou pronto, «também se fizeram aterros provisórios até estarem concluídos os arruamentos definitivos».

«Isto, claro, sem colocar em causa segurança das pessoas e relação com a segurança social», observou.