Uma derrocada no telhado de um edifício onde funcionava uma garagem provocou hoje danos em 28 veículos, sem causar feridos, em Olhão, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

A garagem funcionava num armazém localizado na cidade algarvia e, quando se deu a derrocada, cerca das 09:30, “tinha no seu interior cerca de 40 veículos”, precisou a fonte do CDOS de Faro.

“O teto da garagem abateu parcialmente e provocou danos em 28”, quantificou a mesma fonte, acrescentando que “não houve qualquer vítima”.

No local, a participar nas operações de socorro, estiveram, oito veículos e 16 operacionais, entre elementos dos Bombeiros de Olhão, agentes da PSP e militares da GNR, disse ainda a fonte do CDOS.

O comandante dos Bombeiros Municipais de Olhão, Luís Gomes, disse à agência Lusa que a causa da derrocada não é fácil de determinar logo no momento em que é feito o socorro, mas frisou que, quando se deu o incidente, “estava a chover e estava vento”, o que faz com que, “eventualmente, as condições climatéricas” sejam o motivo provável para a queda parcial do teto.

Luís Gomes adiantou que a garagem funcionava num armazém particular, que tem “também outros compartimentos” ou divisões, mas que não foram afetados.

“Recomenda-se que o edifício fique encerrado, pelo menos na zona onde houve a derrocada. Têm de ser feitas demolições [no local], mas como o edifício é privado, cabe ao proprietário a realização desses trabalhos”, acrescentou.

A zona onde o armazém afetado está localizado tem também outros edifícios adjacentes, mas o comandante dos bombeiros de Olhão garantiu que não houve consequências da derrocada para os imóveis vizinhos.

“Não houve danos em mais edifícios”, afirmou, assegurando que os “danos ficaram confinados a esse armazém e aos 28 veículos”.