A Comissão de Utentes da Via do Infante (CUVI), no Algarve, deixou hoje uma carta de despedida ao Presidente da República, voltando a reivindicar a abolição de portagens na A22 em prol da economia e da mobilidade regional.

Junto à residência de férias do Presidente da República, Cavaco Silva, localizada em Albufeira, 16 membro da CUVI deixaram o seu protesto e garantiram que não se vão contentar com as propostas de redução dos tarifários cobrados pela utilização daquela via que têm sido referidos pelo Governo.

“Está demonstrado que só acabando com as portagens de vez e não é com a redução do tarifário das portagens como propõe o PSD e também o PS”, explicou o líder da CUVI, João Vasconcelos, apontando que em 2015 já se contabilizam 27 mortes na Estrada Nacional (EN) 125 que serve de alternativa gratuita à A22.


A falta de requalificação da EN 125 é outro problema que a CUVI apontou como motivador dos problemas de mobilidade e da falta de segurança rodoviária no Algarve, mas João Vasconcelos garantiu que mesmo que a requalificação se concretize “a EN 125 não é alternativa”, argumentando que “sem ser requalificada é muito pior”.

Os elementos da CUVI querem que o contrato que o Estado celebrou com a concessionária da A22 seja tornado público em toda a sua extensão, vindo repetidamente a lembrar que a existência de cláusulas secretas é motivo de preocupação.

Segundo João Vasconcelos, ainda que a circulação na A22 tenha vindo a aumentar desde que as portagens foram implementadas, no entender da comissão “nem 50% chega para cobrir as despesas”.

“Portanto, temos portagens para os portugueses pagarem, para o povo pagar”, afirmou.


Na carta que a CUVI preparou para Cavaco Silva, o grupo agradece ironicamente “todas as benfeitorias” que concretizou, dando como exemplo a introdução das portagens na A22.

“O senhor Presidente não levantou um único dedo de oposição a umas ruinosas e desastrosas portagens no Algarve. Aliás, até incentivou e abençoou essa desgraça que se abateu sobre a nossa região”, lê-se na cópia do documento que foi facultada à Lusa.


A CUVI vai continuar a aproveitar a presença dos governantes nacionais no Algarve durante o verão para apresentar as suas reivindicações e estará no próximo domingo, 22 de agosto, em Manta Rota, com o objetivo de entregar uma carta de despedida ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.