logotipo tvi24

Número de católicos portugueses tem vindo a diminuir

Estudo da Universidade Católica revela que são já três milhões os não católicos em Portugal

Por: Redacção / PB    |   2012-04-16 09:57

Actualizada às 14:05

Está a diminuir o número de católicos em Portugal. Já não chegam a 70 por cento os portugueses que confessam professar a religião católica e os praticantes, ou seja, os que vão regularmente à missa ao domingo, ficam pelos 18 por cento.

Mais de três milhões de portugueses são, assim, não católicos, enquanto os católicos praticantes são 1,8 milhões.

Nos últimos onze anos, os católicos diminuiram 7,4 por cento, passando de 86,9 por cento da população para 79,5.

Os dados são de um inquérito realizado pela Universidade Católica em Novembro do ano passado e foram avançados pelo «Correio da Manhã». Vão ser apresentados quarta-feira no terceiro dia da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que arranca esta segunda-feira em Fátima.

O inquérito foi pedido pela Conferência Episcopal. E, apesar de os resultados serem pouco animadores para a Igreja, os bispos já fizeram saber que não pretendem «esconder a realidade».

Duplica o número de pessoas com uma religião que não a católica

Ao contrário da tendência de diminuição de católicos, a percentagem de pessoas com uma religião diferente da católica duplicou (2,7% em 1999 para 5,7%), assim como cresceu o número de pessoas sem qualquer religião (de 8,2% para 14;2%). Este aumento sentiu-se em todas as categorias: os indiferentes passaram de 1,7 para 3,2; os agnósticos de 1,7 para 2,2 e os ateus de 2,7% para 4,1%.

Em onze anos, as categorias com maior crescimento são os «protestantes» e os «crentes sem religião».

Partilhar
EM BAIXO: Cruz
Cruz

Detido suspeito de vários roubos em Vila do Conde e Póvoa do Varzim
Homem de 20 anos é suspeito e roubos em estabelecimentos e na via pública, com recurso a uma faca e coação física
Ébola: Libéria proíbe desembarque em todos os portos
Fonte da administração dos portos marítimos do país afirmou que entrou em vigor uma política de «tolerância zero» para combater a epidemia
Antigo gabinete de física da Universidade de Coimbra nomeado Sítio Histórico Europeu
É o primeiro local em Portugal e o segundo na Península Ibérica a receber esta distinção
EM MANCHETE
Pensionistas deixam Segurança Social no vermelho
Segurança Social apresentou um saldo negativo de 204 milhões, causado pelo pagamento do 14º mês
Défice estrutural «poderá estar em risco»
«A Rússia não deve subestimar a Europa»