O presidente do Instituto Politécnico de Castelo Branco revelou esta que 111 alunos abandonaram os estudos desde o início do ano letivo, a esmagadora maioria devido a dificuldades económicas.

«Neste momento é o número que temos de abandono escolar. Temos o cuidado de fazer um inquérito quando isso acontece e lamentamos não sermos conhecedores das situações previamente, porque temos condições de garantir que alguns desses alunos pudessem continuar connosco», explicou Carlos Maia.

O presidente do instituto falava aos jornalistas à margem da cerimónia de tomada de posse do seu segundo mandato à frente da instituição.

«Infelizmente ainda constitui um determinado estigma dizer que se tem dificuldades financeiras. Acho um disparate e tento incutir isso aos alunos porque ninguém tem culpa da situação em que está», sublinhou.

O recém-empossado presidente do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), referiu ainda que se reúne de dois em dois meses com a administradora do Serviço de Ação Social da instituição e com as associações de estudantes das diversas escolas, precisamente para tentar sinalizar alunos que estejam nestas condições.

«Temos condições de manter esses alunos, mesmo aqueles que têm mais dificuldades financeiras. Por vezes somos informados e já eles abandonaram», lamentou.