Os proprietários e os arrendatários do antigo cinema Londres, em Lisboa, decidiram suspender as obras de conversão num estabelecimento comercial, mas negam terem sido notificados pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC).

Em declarações à agência Lusa, o representante do proprietário afirmou que as obras no antigo cinema foram suspensas por duas semanas, numa decisão acordada com os arrendatários, comerciantes chineses que querem abrir uma loja naquele espaço.

O representante dos proprietários não exclui ainda a hipótese de chegar a acordo com um novo arrendatário, desde que os comerciantes chineses concordem em sair e que sejam ressarcidos dos gastos com obras já efetuadas no espaço.

Esse acordo com um hipotético novo arrendatário terá de ser «em condições pelo menos idênticas às anteriores e que dê garantias ao senhorio de pleno cumprimento do contrato a celebrar».

A mesma fonte esclareceu que «legalmente, ninguém tem legitimidade para mandar embargar obras que não carecem de licenciamento, em virtude de serem exclusivamente interiores e não implicarem alterações estruturais».

«A IGAC determinou, finalmente, a suspensão das obras tal como tínhamos requerido a semana passada e notificou os proprietários para prestarem esclarecimentos», garantiu o movimento de comerciantes do bairro lisboeta onde está situado o antigo cinema.

Os comerciantes da avenida Guerra Junqueiro, praça de Londres e avenida de Roma querem impedir a transformação do cinema Londres numa loja chinesa de retalho.

Na semana passada apresentaram ao Governo uma proposta de projeto cultural e comercial para aquele espaço - que inclui cinema, livraria, restauração e lojas -, que está encerrado desde 2013, depois da exibidora Socorama ter apresentado falência.

Para quarta-feira, às 19:00, os comerciantes marcaram um debate na pastelaria Mexicana, em Lisboa, «para discutir o futuro do cinema Londres», com a participação confirmada do antigo exibidor José Manuel Castello Lopes, do curador João Pinharanda, do musicólogo Rui Vieira Nery, do arquiteto João Santa-rita, do realizador João Mário Grilo, do fotógrafo Jorge Molder, da escritora Lídia Jorge, entre outros.