A família do homem que na terça-feira foi resgatado na Amoreira, em Cascais depois de alegadamente ter estado oito anos em cativeiro, já estava sinalizada pela Segurança Social desde 2011. A situação foi comunicada ao Ministério Público, que arquivou o processo.
 
O homem, com cerca de 30 anos, foi encontrado pelos bombeiros preso num quarto de uma cave com quatro metros quadrados, alegadamente ali fechado pela mãe.
 

“Era um quarto feito de paredes em cimento, não estava pintado, tinha um balde para fazer necessidades e um pequeno colchão para pernoitar”, contou o comandante dos bombeiros de Alcabideche à TVI.

 
A aparência, segundo José Palha, era de um “homem das cavernas”.

A mãe, com 62 anos e sinais de perturbações mentais, era conhecida na vizinhança por provocar desacatos.