A emissão do Cartão de Cidadão está a alterar o nome dos «manueis» e das «lurdes» para retomarem a grafia utilizada no ano de nascimento, disse à Lusa, esta manhã, fonte ligada à emissão do novo documento.

«Fiquei admirado por ver o meu nome escrito com «o» em vez de «u», como escrevi durante toda a vida e como consta de todos os documentos que tenho», referiu Manuel Justino Pinto, o morador de Famalicão, a quem os serviços emissores do Cartão de Cidadão «mudaram» o nome.

Manuel nasceu em 1940 e, apesar de ter o Bilhete de Identidade válido, decidiu requerer o novo cartão.

«Fui à Conservatória do Registo Civil de Vila Nova de Famalicão, trataram-me dos papéis todos e eu assinei o meu nome da mesma forma que assinei durante toda a vida», salientou Manuel Justino Pinto.

Dias depois, quando foi buscar o Cartão de Cidadão, reparou que tinha o nome escrito de forma diferente do que consta no passaporte, no Bilhete de Identidade e no Cartão de Contribuinte, passando para «Manoel».

«No Registo Civil explicaram-me que a mudança na forma como se escrevem alguns nomes está a ser alterada de acordo com a forma como se escrevia no ano em que nasci», disse.

«Para fazer o Cartão de Cidadão, os serviços estão a informatizar todos os assentos de nascimento e com os registos mais antigos, tem havido algumas surpresas», referiu fonte ligada à emissão dos novos cartões.

O critério usado para escrever o nome das pessoas é a grafia usada no ano em que nasceram e a forma como o nome está escrito no assento de nascimento.

As maiores queixas têm sido em relação ao nome «Manuel» e «Lurdes» que, no Cartão de Cidadão, passaram a agora a ser escritos com a letra «o».

Perante a mudança do nome, os cidadãos têm duas hipóteses.

«Ou aceitam a nova grafia do nome e o caso está resolvido ou têm que pedir um novo averbamento do nome e, depois de averbado, têm que solicitar a emissão de uma novo cartão, pagando mais 12 euros», referiu a mesma fonte.

Manuel Justino Pinto optou por fazer um novo averbamento para continuar a escrever Manuel com «u».

O averbamento foi feito na Conservatória do Registo Civil de Braga, no dia 10 de Fevereiro.

«Estou à espera do novo cartão para voltar a ser Manuel e não Manoel», finalizou.