A GNR registou 444 participações referentes a veículos destruídos ou danificados parcialmente no incêndio ocorrido no estacionamento do festival “Andanças”, em Castelo de Vide, no distrito de Portalegre, revelou esta sexta-feira à agência Lusa fonte da Guarda.

De acordo com a mesma fonte, as 444 participações foram feitas à GNR, independentemente do estado de destruição das viaturas, durante a identificação dos proprietários lesados.

O número de comunicações de lesados [com veículos destruídos totalmente ou parcialmente] foi de 444”, disse à Lusa o oficial de relações públicas do Comando Territorial de Portalegre da GNR, tenente-coronel Carlos Belchior.

Na quarta-feira, fonte da Proteção Civil indicara à Lusa que o incêndio destruiu 422 viaturas e danificado parcialmente outras nove.

A GNR divulgou também esta sexta-feira que “não há indícios de crime" na origem do incêndio, ocorrido na quarta-feira à tarde num dos parques de estacionamento do festival “Andanças".

A confirmação que nos foi dada pela Policia Judiciária (PJ) é que não há indícios de crime na ocorrência do incêndio. Não há indícios de mão criminosa”, disse à Lusa o mesmo oficial.

Segundo o tenente-coronel Carlos Belchior, as causas do fogo “continuam em processo de investigação" pela PJ e GNR.

As autoridades terminaram hoje de manhã os trabalhos de identificação dos veículos e dos proprietários lesados.

A 21.ª edição do “Andanças” - Festival Internacional de Danças Populares decorre, desde segunda-feira e até domingo, numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, esperando um total de 40 mil visitantes.

O festival é promovido pela Pédexumbo - Associação para a Promoção da Música e Dança.