Depois de ontem ter anulado oito carreiras de manhã, por estar sem alguns barcos operacionais, a administração da Soflusa teve de fazer hoje um apelo aos passageiros, uma vez que na manhã desta quarta-feira houve quem tentasse forçar o embarque, causando estragos e afetando outras pessoas. 

A Soflusa pede aos passageiros para evitarem as deslocações entre as 08:00 e as 09:00. Foi nesse período que se verificaram hoje vários incidentes no cais do Barreiro.

Fazemos um apelo aos passageiros para tentarem coordenar as deslocações, para não haver um tão grande aglomerado de pessoas àquela hora"

A administradora da empresa de transporte fluvial, Marina Ferreira, contou, em conferência de imprensa, em Lisboa, que várias pessoas tentaram forçar a entrada na zona de embarque.

Segundo a responsável, houve várias pessoas que se sentiram mal, uma mulher desmaiou e outros utentes magoaram-se na sequencia das tentativas de forçar a entrada de acesso ao barco, tendo mesmo partido uma porta.

Felizmente, não aconteceu nada de grave, mas é uma preocupação para a empresa porque é uma questão de segurança dos passageiros".

O apelo para evitar deslocações entre as 08:00 e as 09: 00 é justamente para evitar que fiquem aglomeradas 1500 pessoas numa sala de espera, quando não é possível assegurar todas as ligações previstas. "Basta falhar um barco e nós falhámos dois", justificou.

Cada barco, precisou, tem capacidade para 600 pessoas.

Estavam previstas nove carreiras entre as 08:00 e as 09:00 e circularam sete, quando se verificaram os incidentes. Entre as 06:00 e as 09:00 estavam previstas 20 ligações e foram cumpridas 17.

A frota da transportadora é composta por oito navios, mas apenas quatro estão a funcionar, porque os restantes não reunem as condições necessárias.

Marina Ferreira referiu que as restrições orçamentais dos últimos anos impediram a regular manutenção dos barcos, que está agora a ser feita.

A Soflusa é a empresa responsável pelas ligações entre o Barreiro e Lisboa, enquanto a Transtejo faz as ligações do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão com a capital.