A Agência Europeia de Segurança Alimentar (AESA) esclareceu esta terça-feira que o risco de entrada e transmissão do vírus Ébola na Europa, através da importação da carne de caça africana é baixo.

Os especialistas da AESA analisaram a questão a pedido da Comissão Europeia. Chegaram a essa conclusão, adiantando ainda que o consumo de carne de animais selvagens africanos, nomeadamente macacos e antílopes, é «pouco significativo» na Europa.

Para além do mais, a importação daquela carne - conhecida por abrigar o vírus Ébola em África - é ilegal na Europa, recordou a AESA.

De qualquer modo, fica a advertência de que, havendo contaminação por essa via, traria «graves consequências» sanitárias.