A ordem de libertação de Carlos Santos Silva já foi entregue, apurou a TVI. O amigo de José Sócrates vai passar para o regime de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica.

Detido no âmbito da "Operação Marquês", o ex-administrador do grupo Lena está indiciado por fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.

A informação de que Santos Silva ia passar para prisão domiciliária foi comunicada pelo juiz Carlos Alexandre ao Ministério Público.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, o Ministério Público foi notificado de que, relativamente ao ex-administrador do grupo Lena, "o juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal decidiu alterar a medida de coação de prisão preventiva para obrigação de permanência na habitação com vigilância eletrónica”.