O comissário europeu para a Investigação, Carlos Moedas, anunciou esta segunda-feira a terceira edição do prémio para mulheres inovadoras, num almoço que juntou, entre outras, a reitora da Universidade de Aveiro e a vice-reitora da Sorbonne, ambas portuguesas.

O prémio, com três categorias, tem como objetivo distinguir mulheres inovadoras que tenham atingido feitos notáveis a nível empresarial e que sejam exemplos para outras mulheres.

O almoço, organizado no âmbito do Dia Internacional da Mulher, assinalado no domingo, juntou mulheres de várias nacionalidades que se distinguem no meio académico, na investigação e no empreendedorismo, incluindo a reitora da Universidade de Aveiro, Maria Helena Nazaré, e a vice-reitora da Universidade da Sorbonne, Isabelle Oliveira.

Salientando que as mulheres continuam a ser uma minoria nas áreas da investigação e empreendedorismo, Moedas salientou: «não podemos continuar a perder tanto talento inexplorado».

O concurso está aberto até dia 25 de outubro, para todas as mulheres que fundaram ou co-fundaram a sua empresa e que, em algum momento das suas carreiras, receberam fundos da UE para a investigação e inovação.

As candidaturas serão avaliadas e as três vencedoras serão selecionadas por um juri de alto nível e anunciadas no próximo ano.

O Prémio Europeu para Mulheres Inovadores divide-se em três categorias, sendo o primeiro lugar galardoado com uma verba de 100.000 euros, o segundo com 50.000 euros e o terceiro com 30.000 euros.