O presidente da Cáritas, Eugénio da Fonseca, considera que os baixos salários são uma das maiores causas de pobreza em Portugal. Eugénio da Fonseca considera ainda que foi um erro do Governo o corte no Rendimento Social de Inserção (RSI).

A pobreza não dá tréguas em Portugal e pior de tudo, diz o presidente da Cáritas, os portugueses empobrecem a trabalhar. Em entrevista ao «Diário de Notícias» e à TSF, Eugénio da Fonseca aponta o dedo a erros políticos e considera que o país só não está pior graças a solidariedade dos portugueses.