Um novo equipamento de cardiologia e cirurgia coronária, orçado em 400 mil euros, foi inaugurado esta quarta-feira na Unidade de Intervenção Cardiovascular (UNIC) do Hospital dos Covões, em Coimbra, refere uma nota da unidade hospitalar.

De acordo com informação do departamento de comunicação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que integra o Hospital Geral, conhecido como Hospital dos Covões, o novo equipamento do serviço de Cardiologia B "vai permitir não só fazer os estudos hemodinâmicos e angiográficos cardiovasculares de rotina, mas também os procedimentos de intervenção cardiovasculares mais exigentes".

O novo equipamento foi inaugurado no dia em que o CHUC assinalou as 10 mil angioplastias coronárias - procedimento médico para a abertura do entupimento de uma artéria do coração - efetuadas naquele serviço desde 2006.

Entre cerca de uma dezena de outros procedimentos, o novo equipamento permite realizar angioplastias coronárias complexas, angioplastias carotídeas e vasculares periféricas, adianta.

De acordo com a nota, o equipamento resultou de uma "oferta de mecenato" da Associação de Solidariedade Social em Cardiologia (ASSEC). Vai permitir aumentar a "capacidade instalada" no CHUC e "corresponder às necessidades de toda a população da zona Centro do país" (cerca de 1,7 milhões de habitantes), numa área "muito sofisticada e diferenciada da intervenção cardiovascular", onde o centro hospitalar diz possuir "alta e complexa diferenciação técnica".

No documento, lê-se ainda que a Unidade de Intervenção Cardiovascular trabalha com um conceito "inovador" de equipa vascular (vascular team), que integra, para além de cardiologistas de intervenção, cirurgiões cardíacos, cirurgiões vasculares, especialistas em imagiologia cardíaca, anestesistas, nefrologistas e neurologistas.

"Esta equipa permite efetuar semanalmente procedimentos de intervenção coronária e não coronária de grande complexidade que ultrapassam o normal âmbito dos laboratórios de hemodinâmica do nosso país", acrescenta à Lusa.


A citada diferenciação técnica acarreta, segundo a nota de imprensa, "responsabilidades acrescidas" na resposta a toda a região Centro "e em alguns casos a todo o país", indo além da especialidade de cardiologia e acolhendo doentes de medicina interna, neurologia, cirurgia cardíaca, nefrologia, cirurgia vascular, e medicina geral e familiar, entre outras.

"O serviço procura dar uma resposta atempada e de elevada qualidade e diferenciação aos doentes cardiovasculares da região Centro do país, para que eles não tenham necessidade de se deslocar a outras zonas para serem tratados, mantendo-se assim o CHUC como um dos principais centros de referência nacional na área da intervenção cardiovascular percutânea", afirma.