Os dois bombeiros da corporação de Carregal do Sal feridos com gravidade no fogo de Muna (Tondela), onde morreu hoje uma bombeira, foram retirados do local por um sapador florestal que conhecia um caminho alternativo.

Viriato Rebelo, dos Sapadores de Santiago de Besteiros, explicou aos jornalistas que a sua equipa foi a primeira a chegar ao local, sendo depois reforçada por outros elementos de sapadores de freguesias vizinhas e mais tarde por bombeiros.

«Estávamos entre duas estradas onde lavrava o incêndio e fez-se o combate direto, a partir de uma zona de segurança que já estava queimada», descreveu.

O sapador explicou que de repente houve «um efeito chaminé e as chamas tinham mais de 30 metros de altura», tendo sido necessário recuar para uma área ardida.

«Quem fugiu para esta parte safou-se, mas quem foi para o lado do estradão queimou-se. Consegui trazer dois bombeiros para serem assistidos», recordou.

Viriato Rebelo disse que os dois bombeiros feridos, da corporação de Carregal do Sal, entraram na sua viatura pelo próprio pé, seguindo depois por um caminho alternativo.

«Um deles estava muito queimado, tinha queimaduras em todo o corpo e foi preciso retirar-lhe a roupa», contou.

O sapador contou que estava um fumo muito intenso, o qual «não permitia ver grande coisa».

«Houve um GNR que fugiu para uma zona de água, que tinha uma mina. Foi a sorte dele», acrescentou, lamentando a perda da vida da bombeira, que acredita que poderá ter «ficado desorientada com tanto fumo».

O comandante operacional distrital de Viseu, Lúcio Campos, informou entretanto que os feridos graves foram transportados para o Hospital do Porto.

Fonte dos bombeiros no terreno avançou ainda à Lusa que os operacionais chegaram a ficar sem transmissões mas entretanto já foram restabelecidas.