O funeral do bombeiro que morreu na terça-feira, depois de ter ficado ferido na semana passada num incêndio na Serra do Caramulo, realiza-se esta quarta-feira em Carregal do Sal (Viseu), anunciou a corporação daquela localidade.

De acordo com um comunicado divulgado esta quarta-feira, o corpo de Bernardo Cardoso estará em câmara ardente no Salão da Associação Humanitária dos Bombeiros de Carregal do Sal, a partir das 14:00. As cerimónias fúnebres estão marcadas para as 18:30, com missa de corpo presente, no quartel dos bombeiros, seguindo depois para o cemitério de Currelos.

Bernardo Cardoso, de 19 anos, da corporação de Carregal do Sal, morreu ao início da noite de terça-feira no Hospital da Prelada, no Porto, onde estava internado desde quinta-feira da semana passada (29 de agosto).

Com a morte deste jovem, sobe para seis o número de bombeiros que morreram este ano no combate aos incêndios florestais.

O jovem ficou com queimaduras em 55% do corpo no dia em que, no mesmo incêndio (em São Marcos/Muna, na Serra do Caramulo), morreu a bombeira Cátia Pereira Dias, de 21 anos, e um terceiro bombeiro ficou ferido com gravidade.

A notícia da morte de Cátia Pereira Dias foi conhecida enquanto se realizava o funeral de Bernardo Figueiredo, de 23 anos, da corporação do Estoril (Cascais), que não resistiu a ferimentos graves resultantes de outro incêndio também no concelho de Tondela.

Na Serra do Caramulo morreu ainda, no dia 22 de agosto, a jovem Ana Rita Pereira, de 24 anos, pertencente à corporação de Alcabideche (Cascais).

No mês passado morreram também António Nuno Ferreira, de 45 anos, operador de central no quartel dos bombeiros de Miranda do Douro, e Pedro Rodrigues, de 40 anos, que combatia um incêndio no concelho da Covilhã.

Na segunda-feira, fonte do Hospital da Prelada referiu que o prognóstico de um outro bombeiro internado na unidade ¿ Daniel Falcão, de 25 anos, operacional de Miranda do Douro ¿ evoluiu de muito reservado para reservado. O homem mantém-se, no entanto, numa «situação grave», depois de ter dado entrada com 70% a 80% do corpo queimado.

Também na segunda-feira, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra informou que o estado clínico dos cinco bombeiros ali internados se mantém complicado para três deles ¿ um, com 50 anos e transferido do Hospital de Braga, com prognóstico «muito reservado», e os outros dois com prognóstico «reservado». Nesta condição estão um operacional de 45 anos, proveniente de Bragança, e outro de 62 anos, oriundo da Figueira da Foz.

Os incêndios florestais consumiram até ao final de agosto uma área de 94.155 hectares, mais 25% do que em igual período de 2012, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

O último relatório provisório sobre os incêndios florestais adianta que entre 01 de janeiro e 31 de agosto foram registadas 14.143 ocorrências de fogo, menos 1.690 do que no mesmo período de 2012.