A forte ondulação na Costa da Caparica (Almada) já galgou, esta segunda-feira, o paredão da frente urbana, mas as autoridades admitem que a situação pode «complicar-se» de madrugada, segundo o adjunto do capitão do Porto de Lisboa, Cruz Gomes.

«A situação poderá complicar-se durante a próxima madrugada com a preia-mar prevista para as 04:22, dado que se prevê uma ondulação de quatro metros», disse Cruz Gomes, admitindo que possam surgir alguns problemas provocados pela agitação marítima a partir das 01:00.

Durante a tarde desta segunda-feira o mar já começou a galgar o paredão da frente urbana da Costa da Caparica, mas, segundo o responsável da Capitania do Porto de Lisboa, sem causar problemas de maior.

«O mar já começou a galgar o paredão mas, até agora, sem grande violência e sem provocar danos significativos», disse Cruz Gomes, adiantando que a Polícia Marítima já interditou o acesso dos peões ao paredão e já alertou os concessionários dos apoios de praia para não correrem risco durante a próxima madrugada.

De acordo com uma estimativa da Associação dos Apoios de Praia da Frente Urbana da Costa da Caparica (AAPFUCC), a forte ondulação nas praias da Caparica desde janeiro já provocou prejuízos estimados de 250.000 euros em diversos restaurantes e apoios de praia.

Autoridades condicionam acessos na Praia Grande e no paredão de Cascais

A estrada de acesso à Praia Grande, no concelho de Sintra, e parte do paredão de Cascais foram vedadas à circulação, devido à forte agitação marítima, confirmaram as autoridades locais e marítimas.

A estrada para a Praia Grande foi cortada ao trânsito cerca das 15:30, no cruzamento para Almoçageme, informou o presidente da Junta de Freguesia de Colares, Rui Santos. As ondas, de acordo com o autarca, já tinham galgado para a estrada antes das 16:30, mas sem provocar danos como em situações anteriores.

«Isto está mau», desabafou Rui Santos, esperando que o facto de já ter passado a preia-mar contribua para minimizar os estragos.

«Já vieram dizer para a gente fechar, porque não sabem quando é que a estrada pode reabrir», adiantou à Lusa uma fonte do restaurante Angra, situado em frente ao areal. «O mar já saltou para a estrada», confirmou um dos responsáveis do estabelecimento.

Segundo a autarquia, «o acesso à praia ficará cortado até estarem reunidas condições de segurança para pessoas e bens».

«O mar está com força e já saltou para o estacionamento, mas o restaurante não está em risco», garantiu, por seu lado, Jorge Pimenta, concessionário da Praia da Adraga. O comerciante esclareceu que, por precaução, colocou as proteções dos vidros do restaurante e as autoridades vedaram a zona mais próxima do areal.

«Afastámos as pessoas do paredão como medida de prevenção», revelou o comandante da Capitania do Porto de Cascais, Dario Moreira. A forte agitação do mar e a preia-mar, por volta das 16:00, levou a autoridade marítima a condicionar a utilização do paredão entre as praias do Tamariz, Poça e Azarujinha.

A partir das previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera para forte agitação marítima, a Autoridade Nacional de Proteção Civil decretou alerta vermelho para sete distritos do país, entre os quais Lisboa, entre as 12:00 e as 23:59 de hoje.

«Prevê-se que as condições de agitação marítima comecem a melhorar nas próximas horas, mas vamos estar atentos à situação durante a próxima preia-mar», admitiu Dario Moreira, apesar de não esperar mais danos com a subida da maré até às 04:00 de terça-feira.

A Polícia Marítima foi chamada a tomar conta de um incidente que envolveu uma mulher na Praia da Poça, que foi resgatada do mar. As causas do incidente estão a ser apuradas pela Capitania do Porto de Cascais. A mulher foi assistida por uma unidade do Instituto Nacional de Emergência Médica e transportada «em estado grave» para o Hospital de Cascais.