A ASAE instaurou 20 processos-crime, nos últimos três anos, em cantinas escolares. A Autoridade de Segurança Alimentar detetou falta de higiene, alimentos em decomposição ou mesmo em putrefação. Desses processos, resultou a suspensão temporária de 13 empresas ou estabelecimentos.

Durante esses três anos, a ASAE fiscalizou um total de 800 escolas do país. Para além dos processos-crime e das suspensões decretadas, foram instaurados 228 processos de contraordenação.

Foi o caso da escola Noronha Feio, em Queijas, onde foi servido frango cru aos alunos. mesmo antes do caso ter sido tornado público uma denúncia à ASAE que levou a inspeção à escola.

A pouca qualidade e quantidade das refeições escolares tem sido denunciada por alunos e pais. O caso mais recente aconteceu numa escola em Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança. Na passada quarta-feira foram encontrados dejetos de rato no fogão do refeitório onde são servidas refeições a crianças do 3º ao 6º ano.

Em declarações à rádio de Macedo de Cavaleiros, o diretor do agrupamento escolar diz que a situação não é nova que os animais poderão ter entrado devido às obras do ginásio. Enquanto o espaço foi limpo, os almoços decorreram noutro local.

Mas há mais queixas como rissóis por fritar, uma larva na comida - a aluna da Escola Básica 2/3 André Soares, em Braga, que publicou o vídeo a comprová-lo terá sido alvo de um processo disciplinar , que a escola veio entretanto negar -, tal como a fraca qualidade mas também pouca quantidade de comida.