Mais de 40 mil voluntários iniciam hoje mais uma campanha do Banco Alimentar Contra a Fome de recolha de alimentos à porta dos supermercados de todo o país, convidando os portugueses «a ajudar quem mais precisa».

Os voluntários «devidamente identificados» vão estar hoje e domingo à porta de 1.895 estabelecimentos comerciais a apelar a «mais solidariedade num contexto de dificuldade», adianta em comunicado a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome (FPBACF).

«Todos sabemos as circunstâncias críticas em que muitos portugueses vivem hoje no que toca a carências alimentares, mas também sabemos que é nestes momentos que a solidariedade cumpre ainda mais decisivamente o seu papel, contribuindo para ajudar as famílias com mais necessidades», afirma a presidente da federação, Isabel Jonet.

Segundo Isabel Jonet, os grupos mais afetados pela crise económica são «famílias, desempregados, crianças e idosos», que fazem «aumentar significativamente os pedidos de apoio que chegam aos Bancos Alimentares Contra a Fome e a necessidade de alargar a sua capacidade de resposta às instituições sociais que apoiam».

Dados dos Bancos Alimentares referem que, em 2012, foram apoiadas 2.221 instituições de solidariedade que entregaram os produtos alimentares a mais de 389.200 pessoas.

Estes produtos foram entregues sob a forma de cabazes de alimentos ou refeições confecionadas, num total de 28.323 toneladas de alimentos, com o valor estimado de 39.651 milhões de euros, uma média diária de 113 toneladas por dia útil.

Na última campanha, os Bancos Alimentares contra a Fome conseguiram recolher um total de 2.445 toneladas de géneros alimentares.

Os géneros alimentares recolhidos foram distribuídos a 2.221 Instituições de Solidariedade Social, que os entregaram a 389.200 pessoas.

Será também possível contribuir até 8 de dezembro na campanha «Ajuda Vale», bastando pedir um vale nas caixas dos supermercados, e através da plataforma eletrónica (www.alimentestaideia.net) para doação de alimentos.

O número de pessoas apoiadas pelo Banco Alimentar mais do que duplicou numa década, segundo da instituição, que ajuda atualmente 418.881 utentes.

Em 2003, os bancos alimentares apoiavam 189.152 pessoas, número que subiu para 418.881 em 2012 (+114%), adiantam os dados da FPBA.