Quase um quarto dos automobilistas portugueses e espanhóis reconhecem sentir «uma certa tensão» quando se cruzam na estrada com um veículo pesado, indica um estudo hoje apresentado em Madrid.

Segundo um inquérito, realizado junto dos condutores de veículos ligeiros e pesados de Portugal e Espanha, os choques traseiros e os atritos laterais são as ocorrências mais frequentes entre os automobilistas da Península Ibérica.

O relatório ibérico feito pela Real Automóvel Clube de Espanha (RACE) e pelo fabricante sueco de camiões Scania adianta que 73% dos inquiridos afirmou que a relação entre o transporte profissional e os veículos ligeiros de passageiros é satisfatória, sendo essa perceção mais elevada nos espanhóis, com 76 por cento de respostas positivas, comparativamente aos 70 por cento dos portugueses.

O inquérito mostra também que 84% dos espanhóis e portugueses consideram que as rotundas não estão perfeitamente desenhadas.

Os condutores de veículos pesados de ambos países tem uma opinião coincidente na questão de contornar as rotundas, considerando que constitui «um obstáculo e um perigo executar essa manobra com segurança, chegando a ocorrer, em muitas ocasiões, situações de alto risco de acidente, que obrigam a invadir a faixa contrária para contorná-la», acrescenta o estudo divulgado num seminário sobre segurança rodoviária que hoje se realiza em Madrid.

De acordo com o inquérito, 21 por cento dos automobilistas da Península Ibérica inqueridos referiram ter já sofrido acidentes por impacto indireto de materiais devido a uma colocação ou fixação incorreta da carga.

Outro dos aspetos avaliado no estudo foi a opinião dos condutores de veículos ligeiros e pesados sobre o estado das áreas de descanso e das áreas de serviço.

Sobre este ponto, os condutores de veículos ligeiros de passageiros atribuíram uma nota de 6,6 em 10, enquanto a nota média dos motoristas profissionais de pesados de ambos os países foi de cinco.

Entre as principais exigências destacam-se uma maior segurança, a higiene e um aumento dos serviços disponíveis, como Internet ou duches para a higiene pessoal.

O inquérito, que teve como objetivo conhecer e identificar as interações que diariamente se geram no trânsito entre dois dos grupos mais representativos da mobilidade ¿ o transporte pesado e os veículos ligeiros de passageiros -, foi apresentado num seminário sobre segurança rodoviária com o tema «Três visões, uma missão: salvar vidas», dedicado aos transportes pesados, e promovido pela Scania.

O presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), Jorge Jacob, e responsáveis da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) representam Portugal no seminário.