O Ministério da Educação garantiu, esta quarta-feira, que os alunos afetados pelo fecho da cooperativa de ensino Ancorensis, em Caminha, vão ter vagas no Agrupamento de Escolas Sidónio Pais", caso "seja essa a vontade dos encarregados de educação".

Em comunicado, o Ministério tutelado por Tiago Brandão Rodrigues referiu "estar a acompanhar a situação de perto, através da Direção de Serviços de Educação da Região Norte (DSRN), em articulação com o município, e que já se garantiu a existência de vagas na Escola Básica e Secundaria Sidónio Pais e Escola Básica e Secundária do Vale do Âncora", incluídas naquele agrupamento, "para os alunos inscritos na instituição de ensino cooperativo".

A Ancorensis - Cooperativa de Ensino, a funcionar em Caminha desde 1 de setembro de 1988, decidiu, na segunda-feira, em assembleia geral, "a cessação imediata da função de ensino e o despedimento coletivo de todos os 67 trabalhadores, por não ter direito a abrir novas turmas com contrato de associação.

Na nota hoje enviada, o ME adiantou que "os pedidos de transferência dos alunos vão ser monitorizados pela DSRN, que prestará todas as informações e ajuda necessária aos encarregados de educação dos alunos".

"As vagas nas escolas públicas estão garantidas, sendo este o elemento essencial para que os processos de transferência decorram com tranquilidade", frisou o gabinete de Tiago Brandão Rodrigues.