Camilo Mortágua é um dos últimos revolucionários portugueses.

Camilo já é um mito, ele que entrou em todas as grandes operações contra o Salazarismo, da tomada do Paquete Santa Maria ao desvio de um avião da TAP, passando pelo célebre assalto ao Banco de Portugal da Figueira da Foz.


Aos 85 anos, Camilo está vivo e recomenda-se. Vive em Alvito, no interior alentejano, e só há dias a TVI o convenceu a entrar, pela primeira vez, no hemiciclo de São Bento. Pai das deputadas Joana e Mariana Mortágua, Camilo mantém a rebeldia, a utopia e a independência, sem meia palavras nem papas na língua.


"Camilo, o Revolucionário" é uma reportagem que contribui para melhor se compreender a História recente de Portugal. Do jornalista Victor Bandarra, com imagem de Bruno Vinhas e Nuno Quá, e montagem de Miguel Freitas, para ver esta segunda-feira à noite, no Jornal das 8, em Repórter TVI.