Atualizado às 10:24

12 distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira continuam esta terça-feira sob aviso amarelo devido à persistência de temperaturas máximas elevadas, de acordo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo informação disponibilizada na página do IPMA na Internet, sob aviso amarelo, o segundo menos grave de uma escala de quatro, estão os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Lisboa, Setúbal, Évora, Beja e Faro.

De acordo com o IPMA, o aviso vai estar em vigor até às 19:59 de quarta-feira, no continente, e até às 20:59 de quinta-feira nas ilhas da Madeira e de Porto Santo.

O IPMA prevê para hoje, no continente, céu geralmente limpo e uma pequena subida de temperatura, especialmente da máxima, nas regiões Norte e Centro. O vento hoje deverá soprar fraco, a menos de 15 quilómetros por hora (km/h), soprando temporariamente moderado (15 a 30 km/h) durante a tarde no litoral a sul do cabo da Roca e nas terras altas do Norte e Centro até meio da manhã.

Quanto às temperaturas, em Lisboa prevê-se uma máxima de 37 graus Celsius, no Porto de 29 e em Faro de 33.

Alerta amarelo devido ao calor

Entretanto, a Direção-Geral de Saúde (DGS) emitiu um alerta amarelo de calor para oito distritos, a maioria do interior do país, devido à previsão de temperaturas máximas elevadas.

O alerta amarelo de calor, divulgado na página da Internet da DGS, foi feito para os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Faro.

A DGS alerta que «devido às temperaturas elevadas pode haver efeitos na saúde».

Mas, esta terça-feira, a DGS também alertou e pediu cuidado com uma «massa de ar», vinda de África, que vai aumentar as partículas e poeiras nas regiões do Alentejo e Algarve.

Risco máximo de incêndio em 32 concelhos

32 concelhos de Portugal continental, a maioria de distritos do Interior Norte, estão sob risco máximo de incêndio, segundo informação disponibilizada na página da internet do IPMA.

O IPMA indica que, em risco máximo de incêndio estão os concelhos de Ponte da Barca (Viana do Castelo), Cabeceiras de Basto (Braga), Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar (Vila Real), Baião (Porto), Arouca (Aveiro), Cinfães, Castro Daire, Vila Nova de Paiva, Moimenta da Beira, Sernancelhe e Mangualde (Viseu), Sabugal, Guarda, Celorico da Beira, Fornos de Algodre, Gouveia, Aguiar da Beira e Trancoso (Guarda), Pampilhosa da Serra, Arganil, Góis, Miranda do Corvo (Coimbra), Castanheira de Pera, Pedrógão Grande e Figueiró dos Vinhos (Leiria), Oleiros, Sertã e Vila de Rei (Castelo Branco), Mação e Sardoal (Santarém) e Monchique (Faro).

Na segunda-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 237 incêndios, que foram combatidos por 4.908 operacionais, com o auxílio de 1.281 veículos.

Risco muito alto de exposição a raios ultravioleta

Todo o território português apresenta hoje risco muito alto de exposição a radiações ultravioleta (UV), ainda de acordo com o IPMA, com exceção de cidades nos Açores, onde o risco é moderado.

De acordo com o IPMA, todas as cidades do país estarão entre os níveis 8 e 10 (o máximo é 11), ou seja, muito alto, com exceção de Santa Cruz e Horta, no arquipélago dos Açores, onde é registado um índice 5 (considerado moderado), e de Angra do Heroísmo, também nos Açores, onde o índice é de 7 (alto).

Os casos mais graves são o Funchal (arquipélago da Madeira), onde o nível vai chegar ao 10, e Beja, Évora, Faro, Guarda, Lisboa, Penhas Douradas, Porto Santo (Madeira), Sagres, Santarém, Setúbal e Sines, que apresentam um índice de UV de 9.