O domingo passado foi o mais quente deste ano, com um valor médio da temperatura máxima do ar a atingir os 38,2 graus e a mínima 19,1, segundo o Instituto do Mar e da Atmosfera.

De acordo com informação disponível esta terça-feira na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), verificaram-se no sábado e no domingo valores muito elevados das temperaturas máximas e mínimas do ar devido a um fluxo de ar quente e seco, associado a uma corrente do quadrante leste.

“Nestes dias, os desvios da temperatura foram em geral superiores a 06 graus Celsius, sendo de realçar que no domingo, os desvios no Porto/Pedras Rubras foram de 11,8 graus, em Coimbra/Bencanta 12,2 e Santarém/Fonte Boa 12,6”, indica o Instituto.

No que diz respeito às mínimas, os maiores desvios foram registados no domingo e foram superiores à norma em 10 graus em Portalegre (10,9), Porto (10,5) e Lisboa (10,4).

“Em Portugal continental, o dia 07 de agosto [domingo] foi, até à data, o dia mais quente de 2016, com valor médio da temperatura máxima do ar de 38,2 graus e da mínima de 19,1”, segundo o IPMA.

Os dados indicam que no fim de semana os valores da temperatura máxima iguais ou superiores a 34 graus foram registado em mais de 70% das estações meteorológicas do continente.

“Os valores da máxima iguais ou superiores a 40 graus registaram-se em mais de um terço das estações”.

Os maiores valores da temperatura máxima (superiores a 44 graus) observaram-se em Mora, distrito de Évora, (44,8), Tomar, distrito de Santarém (44,7) e Lousã, distrito de Coimbra (44,6).

“O maior valor da temperatura mínima do ar (27,9 graus) ocorreu em Lisboa/Geofísico durante a noite de sábado para domingo e constitui o novo máximo absoluto para este local [anterior maior valor de 27,8 graus em 02 de agosto de 1964), adiantou o IPMA.