Uma grua afeta à construção de um parque subterrâneo de quatro milhões de euros, nas Caldas da Rainha, caiu esta quinta-feira quando estava a ser desmontada, causando apenas danos materiais e partindo a cruz da igreja matriz.

«O terreno cedeu na zona de sapata onde a grua estava assente e aquela estrutura, bastante grande e pesada, desequilibrou-se e caiu», disse à Lusa José António Silva, responsável pela Proteção Civil na Câmara das Caldas da Rainha.

A queda da grua ocorreu às 10:30, quando, segundo fonte da empresa, «se procedia à desmontagem» da estrutura afeta à construção de um parque de estacionamento subterrâneo com sete metros de profundidade e cuja conclusão está prevista para o final de janeiro do próximo ano.

Na queda, a grua bateu na cruz da torre da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, que ficou partida e está a ser retirada pelos bombeiros «para evitar que a parte que ficou presa à torre se solte e possa cair em cima de alguém», explicou o comandante dos bombeiros das Caldas da Rainha, Nelson Cruz.

De acordo com o comandante, «o motorista da grua foi transportado ao hospital mas apenas porque se encontrava muito nervoso», não tendo o acidente causado quaisquer vítimas.

«A situação já foi comunicada à ACT [Autoridade para as Condições do Trabalho], que vai averiguar o que se passou e determinará a suspensão da obra até haver condições para prosseguir», afirmou o presidente da Câmara das Caldas da Rainha, Tinta Ferreira.

A suspensão da obra «é prejudicial porque iríamos iniciar a construção da última de quatro escadas de saída do parque», mas o que há a sublinhar é que «não houve vítimas», ressalvou o autarca.

No local estiveram 10 bombeiros da corporação das Caldas da Rainha, com uma viatura de desencarceramento e ambulâncias, apoiados por dois bombeiros e uma autoescada da corporação de S. Martinho do Porto.

O parque de estacionamento foi concessionado à empresa Edinorte em dezembro de 2013 e está a ser construído na praça 25 de Abril, onde se situam os edifícios da câmara, das finanças, do tribunal e da igreja.

Trata-se de um investimento de quatro milhões de euros integrado no projeto de regeneração urbana que a câmara está a desenvolver em várias ruas do centro da cidade.