A Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou esta quinta-feira que, durante a Operação Risco Mínimo, foram detetadas mais de mil infrações por falta de sistema de retenção de crianças (cadeirinhas).

De acordo com o comunicado divulgado, a falta de sistema de retenção para crianças e o excesso de velocidade foram as infrações mais detetadas pela PSP, com cerca de 1.100 na primeira e mais de 2.300 na segunda.

Durante uma semana, a PSP fiscalizou mais de 17 mil viaturas e deteve 185 pessoas, a maioria das quais por conduzir com excesso de álcool (89).

Foram ainda detetadas mais de 6 400 infrações ao Código da Estrada, sendo também frequentes as infrações por uso de telemóvel durante a condução (190) e a falta de inspeção obrigatória (cerca de 140).

A Operação Risco Mínimo, realizada ao nível nacional entre 30 de junho e 7 de julho, "foi direcionada para o transporte coletivo de crianças e para a adoção de comportamentos de risco por parte dos condutores, com especial destaque para a influência de álcool ou substâncias psicotrópicas e para o excesso de velocidade", informa a PSP.

A PSP aproveitou para alertar que, segundo as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, morrem, por ano, mais de 180.000 crianças no mundo com menos de 18 anos por causa de lesões e traumatismos provocados em ambiente rodoviário.

"As estatísticas revelam ainda que as lesões por acidentes rodoviários estão entre as quatro principais causas de morte em crianças com mais de cinco anos e são a principal causa de morte de jovens com idades entre os 15 e os 17 anos", adianta.