Um homem que se preparava para introduzir haxixe no Estabelecimento Prisional de Coimbra, no regresso de uma saída precária, foi detido, anunciou a Polícia Judiciária (PJ).

O suspeito pela “presumível prática do crime de tráfico de estupefacientes” teria tentado introduzir na cadeia, “pelo menos, 266 doses individuais” do produto, que transportava “no interior do próprio corpo”, afirma a PJ, numa nota enviada à agência Lusa.

O detido, de 36 anos, já “foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo ficado sujeito a prisão preventiva”, adianta a Diretoria do Centro daquela força policial.

Na operação, a Judiciária atuou em articulação com o Estabelecimento Prisional de Coimbra, acrescenta.

Em 20 de julho, um outro recluso, de 33 anos, igualmente em gozo de licença precária, também foi detido ao tentar “introduzir furtivamente” droga naquela cadeia.

As investigações desenvolvidas na ocasião, pela PJ, “conduziram à interceção e posterior detenção” em flagrante delito do suspeito, que, além de “100 doses de haxixe escondidas nas imediações da cadeia”, em plena área urbana de Coimbra, “transportava, no interior do organismo, outras 100 doses individuais desta substância”.

O detido, “tencionava introduzir furtivamente no Estabelecimento Prisional de Coimbra” a droga, “com a finalidade de ser vendida a preços muito superiores aos praticados fora do meio prisional”, referia um comunicado, então divulgado também pela Diretoria do Centro da PJ.

Dias antes, em 29 de junho, a PJ deteve duas mulheres que se preparavam para introduzir 200 doses de haxixe, esteroides anabolizantes injetáveis e seringas, também na cadeia de Coimbra, aquando da visita a reclusos.

Ainda em junho, no dia 4, foram detidos, pela PJ, uma mulher e um recluso a cumprir pena em regime aberto na prisão de Coimbra "quando se preparavam" para transacionar 364 doses de haxixe depois de introduzidas na cadeia.