Os pais da Escola Básica do 1.º Ciclo (EB1) de Barreiros, no concelho de Leiria, fecharam hoje a escola a cadeado como forma de protesto contra a falta de segurança e de higiene.

«Queremos que olhem para esta escola. Há vários anos que reclamamos por melhores condições e nada tem sido feito. As crianças não têm condições para brincar, falta papel higiénico e toalhetes, os autoclismos estão frequentemente avariados e ninguém atende os nossos pedidos», lamentou uma das encarregadas de educação, Rita Bento.

Segundo esta mãe, «há falta de lenha», pelo que o aquecimento está desligado. «Estamos a ser completamente ignorados», criticou ainda Rita Bento.

Também Sérgio Costa, outro encarregado de educação, considerou que o piso exterior à escola ¿ com 77 alunos distribuídos por quatro turmas - «parece um campo de batatas», pelo que «não tem as mínimas condições para as crianças brincarem».

Sérgio Costa apelou para a colocação de um piso diferente e de uma cobertura, para que as crianças possam brincar quando chove.

«Falta detergente para as casas de banho e as caixas de luz estão a degradar-se. A junta traz autoclismos velhos para substituir os que avariam e andamos sempre nisto», denunciou também.

Para este pai, a EB1 dos Barreiros «está a ser discriminada», em relação às escolas de Amor e Casal Novo, na mesma freguesia.

Os pais já se disponibilizaram para comparticipar financeiramente em algumas obras, mas afirmam que a Junta de Freguesia de Amor não lhes deu resposta.

«A última pintura foi feita pelos pais e os bancos que existem no exterior fomos nós que colocámos», revelou Rita Bento.

A GNR foi chamada ao local e abriu o cadeado, permitindo aos professores e funcionários a entrada na escola, mas alguns pais não deixaram os filhos ter aulas em sinal de protesto. «Os professores são excelentes, mas é preciso que alguém olhe para nós. Estamos cansados de reclamar e não ser ouvidos», adiantou um pai à GNR.

Outro encarregado de educação explicou também a esta força policial que «os professores já pediram aos pais para levarem uma segunda muda de roupa e calçado para as crianças se mudarem a seguir ao recreio».

A Câmara de Leiria explica que, no início do ano letivo, no «âmbito da iniciativa o "Município vai à Escola", a vereadora da Educação, Anabela Graça, teve oportunidade de sublinhar que a EB1 de Barreiros constitui uma das prioridades na requalificação do parque escolar».

Segundo a câmara, «uma das situações detetada» nessa visita foi «prontamente resolvida».

«A atenção com esta escola é visível, por exemplo, na construção de um campo de jogos para servir o estabelecimento de ensino, construído em betão poroso durante o mandato anterior e que custou mais de 25 mil euros», informa ainda a autarquia.

Quanto às queixas dos pais, relativamente ao mau funcionamento de equipamentos e da falta de material diverso, a Câmara de Leiria salienta que «estão em vigor com todas as Juntas de Freguesia do concelho protocolos de delegação de competências».

Estes acordos servem «precisamente para que seja possível assegurar uma resposta de proximidade e, por isso, mais rápida e eficiente em situações como a descrita».

A autarquia acrescenta que, neste âmbito, «só para 2014 e para a freguesia de Amor foi disponibilizada uma verba que ultrapassa os 16 mil euros».

Contactado pela Agência Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Amor, Amorim Alves, recusou-se a prestar qualquer esclarecimento.