Notícia atualizada às 20:15

As vítimas de intoxicação por monóxido de carbono numa casa particular em Agualva-Cacém, Sintra, pertencem à mesma família, sendo duas delas crianças, disseram à Lusa fontes de organizações de socorro.

Inicialmente foi referido tratar-se de seis crianças, mas, segundo o comandante dos bombeiros de Agualva-Cacém, Luís Pimentel, que esteve no local, os «feridos ligeiros» são três adultos, um adolescente e duas crianças.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa adiantou à Lusa que seis pessoas tiveram hoje que ser assistidas numa casa particular em Agualva-Cacém devido a intoxicação por monóxido de carbono, tendo sido depois transportadas para dois hospitais.

O comandante da Proteção Civil de Agualva-Cacém, Pedro Ernesto, confirmou que o alerta foi dado cerca das 17:05, no número 12 da Avenida Bons Amigos.

De acordo com fonte oficial do Hospital Fernando da Fonseca, também conhecido como Amadora-Sintra, deram entrada naquela unidade hospitalar três adultos.

Os restantes feridos foram transportados para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

A intoxicação, de acordo com o comandante Luís Pimentel, terá sido provocada pela «queima deficiente em aparelhos da casa, como por exemplo o fogão». Segundo Luís Pimentel, «haveria uma fuga e o monóxido de carbono foi-se concentrando na casa».